quinta-feira, 25 de abril de 2013

Declaração Imposto de Renda


Boa tarde pessoal,
tudo bem com vocês?


Como promessa é dívida, esse post é uma tentativa de explicação sobre Declaração dos nossos apartamentos no Imposto de Renda.




Já adianto que sou Historiadora e não contadora, por isso, uma amiga da minha mãe, que é contadora me ajudou com a declaração.

(Pra quem ainda não baixou aqui estão os programas da Receita Federal)

A primeira coisa que devemos fazer é pegar todos os comprovantes e contratos (principalmente o da CEF) relacionados com a compra do nosso Apêzinho.
Na Central de Relacionamento da MRV temos como visualizar e/ou imprimir um Extrato com todos os pagamentos que efetuamos.

Com todos os comprovantes na mão são contas e mais contas! Somamos tudo o que pagamos no apartamento no ano anterior (no caso 2012).
Eu considerei praticamente todos os valores, mensais, entrada, sinal, ITBI, Taxa de Evolução da Obra, etc... Menos taxas de assessoria.

É importante dizer que eu comprei o apartamento “sozinha”, ele esta só no meu nome, mas tive (e tenho) a ajuda do meu namorado para pagá-lo.

Bom, como somei tudo que pagamos em 2012 e desse valor separamos o que meu namorado contribuiu e esse valor que ele pagou se transformou em doação.

Por isso, na declaração dele ele mencionou esse valor em DOAÇÕES EFETUADAS, com o meu nome e meu CPF.

Na minha declaração, essa “doação” dele foi mencionada em dois lugares em BENS E DIREITOS e em RENDIMENTOS ISENTOS E NÃO TRIBUTAVEIS – TRANSFERENCIAS PATRIMONIAIS.


O apartamento é declarado em BENS E DIREITOS, nesse campo temos que detalhar o Maximo possível como foi a compra do nosso apartamento, já adianto que o espaço é muito reduzido, por isso, provavelmente vocês, assim como eu, terão que abreviar muito.

Antes de deixar o modelo de como ficou a descrição que fiz, é importante frisar que para declarar o apartamento seguimos as informações do contrato com a Caixa Econômica Federal (CEF).

Essa é talvez a maior dúvida que as pessoas tem: Qual valor declarar o da MRV ou da CEF? Devemos ter em mente que o valor declarado não poderá mais ser modificado nas próximas declarações e que a CEF é uma instituição do Governo que avaliou nossos apartamentos e definiu um valor que esta no contrato, então esse é o nosso valor!
Toda a declaração deve ser baseada no contrato com a CEF. É só seguir as informações que estão no contrato.


A minha declaração ficou assim:


Em BENS E DIREITOS:

Código 11 

APTO NA PLANTA À RUA ENG.AMALIA PEROLA CASSAB, S/N, RESID.
SAINT ACACIO, BLOCO X APTO X, VALOR: R$ X, ADQUIRIDO
DA CONST. MRV ENGENHARIA, CNPJ 08.343.492/0001-20. COMPOSIÇÃO
DA DIVIDA: R$ X RECURSO DE FGTS; R$ X FINANC. JUNTO
A CEF EM 25 ANOS COM PARC. A INICIAR EM * DE * DE 20**; R$
X DE DIVIDA JUNTO A MRV A SER PAGA DE (aqui o prazo que ficou estabelecido para que você pagasse a entrada) JAN/2012 A DEZ/2013 -
DESTE VALOR FORAM PAGOS R$ X COM RECURSO DE DOAÇÃO (citar o CPF do doador) - esse recurso de doação é só no caso de pessoas que tiveram ajuda, se não for o seu caso e se ainda tiver espaço, coloque outra informação importante como número de parcelas etc..

Em SITUAÇÃO EM 31/12/2012 colocar o valor que você pagou até agora, isso contando juros, parcelas de entrada, itbi, taxa evolução, doação etc. 

Ai, vocês me perguntam: e o valor que ainda falta, colocamos em DIVIDAS E ÔNUSREAIS?

A resposta é NÃO! A compra de um imóvel jamais deve ser declarada na ficha de “Dívidas e Ônus Reais”, isso a contadora me disse e vários sites que auxiliam a fazer a declaração também mencionam. Além disso, não temos como saber exatamente o valor que ainda nos falta para pagar, pois ainda correrão juros.

Então como fica? Já descrevemos em bens e direitos que existe um valor X pelo contrato com a CEF que eu devo pra MRV no prazo tal... E se minha situação em 31/12/12 era X que paguei, na outra declaração (2013) eu terei pago tudo e poderei declarar esse valor.

Gente basicamente é isso! Lembrando que o prazo para a entrega da declaração termina em 30/04/2013!!!



Qualquer dúvida é só deixar nos comentários e eu tentarei ajudá-los!

Até a próxima,

Priscila =)

5 comentários:

  1. Serio ? Eu nao declarei nada sobre o ape como foi minha primeira vez eu nao sabia e uma amiga disse e ela nao declarou a casa dela ja q o imovel e alienado ainda .. Sera q vou ter problemas ,?? Vc sabe me dizer ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daiane, confessoque eu quase não declarei também por dois motivos: primeiro que meus rendimentos estavam abaixo do valor que tem por obrigação declarar e segundo porque li em algum lugar (depois procuro melhor) que imoveis de menos de R$ 300.000,00 não precisa declarar.
      Mas creio que seja bom declarar porque e depois quando for necessário declarar, como você vai explicar a compra do apartamento?
      Essa colega contadora também financiou com a CEF e também declarou, só que no caso dela é uma casa!
      Sobre a questão de estar alienado não sei te informar, sei que quando assinamos com a CEF a construtora providencia o Registro do Imóvel no nosso nome.
      Resumindo fica a seu critério flor!
      Vou procurar saber mais pra te informar, porque não sou especialista e pelo sim ou não resolvi declarar!

      Priscila

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Priscila, tudo bem?
    Estava procurando na internet essa questão. Como lançar imóvel comprado na planta. É um ótimo post. Só queria tirar mais uma dúvida. E quanto a taxa de obra? Eu lanço no neste campo também?

    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir